Uma tarde com os vinhos da Antinori

Ontem à convite da importadora Winebrands, tive o prazer de passar uma tarde na companhia de Paolo Massimo, em visita exclusiva ao Brasil, e conhecer 6 rótulos dessa que é uma das vinícolas mais importantes e representativas da Itália.

A família Antinori se dedica à produção de vinhos há mais de 600 anos. Em toda a sua longa história, através de 26 gerações, a família sempre geriu diretamente as atividades da companhia, com escolhas inovadoras, e algumas vezes corajosas, mantendo sempre inalterado seu respeito pela tradição e pelo terroir.

Às propriedades da Toscana e Umbria, patrimônio histórico da família, se juntaram propriedades de outras regiões da Itália como o Piemonte e a Puglia e, também, em outros lugares do mundo, como Hungria, Estados Unidos e Chile. Levando para cada um desses lugares seu estilo e tradição, aproveitando o melhor de cada região e produzindo vinhos com personalidade e identidade Antinori.

Tradição, paixão e intuição são as qualidades mais importantes que conduziram a Antinori a se afirmar como um dos principais produtores italianos de vinhos de qualidade.

Confira agora o line up dos vinhos degustados.

  • Villa Antinori Bianca 2016 – Toscana – 50% Trebbiano e Malvasia Toscana, 35% Pinot Bianco e Pinot Grigio e 15% Riesling Renano – poucos anos depois do lançamento do Villa Rosso, nasce o Villa Antinori Bianco. Um vinho produzido principalmente com a uva trebbiano, uma das mais importantes e expressivas da Toscana. Um vinho agradável e cativante que mostrou-se amarelo palha claro com reflexos esverdeados. No nariz apresentou notas de frutas brancas frescas, complementadas com leves toques florais e intensa mineralidade. Na boca é equilibrado, com boa acidez e final agradavelmente mineral. Um branco para termos sempre a postos na adega.

  • Cipresseto Rosé 2015 – Toscana – 85% Sangiovese e 15% de outras castas complementares – este vinho teve seu nome inspirado nos ciprestes da Toscana e estampa os mesmos em seu rótulo moderno e jovem. Elaborado principalmente com a tinta mais importante da região, a Sangiovese, é um elegante rosado-cereja claro. Aromas intensos e frutados. Bastante fresco, com notas de frutas vermelhas frescas, como cereja e framboesa e leve toque floral. Em boca é equilibrado e frutado, correspondendo ao nariz. Boa acidez e final refrescante.

  • Le Maestrelle 2015 – Toscana – 60% Sangiovese, 20% Merlot e 20% Syrah – é o tinto da linha Selezioni da marca Santa Cristina. Um vinho que, em pouco tempo, tornou-se “queridinho” dos donos de restaurantes e sommeliers. Excelente relação entre a qualidade e o preço associada a uma marca mundialmente conhecida, esse é o Le Maestrelle. Apresentou um vermelho rubi com reflexos violáceos demonstrando jovialidade. Aromas intensos, frutados com notas de frutas vermelhas frescas e leve toque de baunilha. Em boca é equilibrado, frutado e com taninos presentes e bem marcados. Um vinho fácil de tomar e muito gastronômico. Obs: 15% do vinho passa por afinamento em barricas de 2º e 3º uso por um período de 8 a 10 meses.

  • Fiulot Barbera d’Asti 2015 – Piemonte – 100% Barbera – Fiulot, em dialeto piemontês significa “filhote”. É produzido com uvas Barbera do vinhedo Costamiòle, um dos “crus” da Prunotto. Em taça apresentou um vermelho rubi vivo e brilhante. Aromas intensos e frutados com notas de ameixa e cereja e complementado por leve toque floral. Como é normal da variedade, em boca apresenta muito boa acidez, taninos macios e elegantes com agradáveis notas de frutas. Um vinho que precisa de tempo em taça para abrir. Gastronômico!

  • Pèpolli 2014 – Toscana – 90% Sangiovese e 10% de Merlot e Syrah – é o Chianti Clássico mais comercializado da Família Antinori. Elaborado com uvas provenientes do vinhedo homônimo e localizado a apenas 5 km do mítico vinhedo Tignanello. Com vermelho rubi intenso com notas de frutas vermelhas lembrando mirtilos e framboesa, complementadas por toques de baunilha e café. Em boca apresenta bom corpo, taninos macios e doces com final persistente e fundo de taça muito agradável. Um vinho gastronômico que combina elegância, complexidade, acidez suculenta que, juntos, nos oferecem incrível satisfação. É o Chianti Clássico que não pode faltar em sua adega! Obs: 10% do vinho amadurece em barricas de carvalho americano, e o restante do vinho em barris de carvalho esloveno por 9 meses.

  • Torcicoda Primitivo 2015 – Puglia / Salento – 100% Primitivo – a casta Primitivo é muito apreciada pelos brasileiros. O Torcicoda é elaborado com uvas Primitivo de uma zona chamada Salento, uma das denominações de origem desta casta na Puglia. Em taça, um vermelho rubi intenso com reflexos violáceos. No nariz apresenta notas de frutas vermelhas como framboesa, combinadas a notas de baunilha e especiarias. Em boca é envolvente com taninos potentes porém macios e elegantes. Notas de frutas maduras e final persistente. Não filtrado e muito complexo. Um vinho extremamente elegante, equilibrado com leve toque mineral. Obs: 10 meses em barricas de carvalho francês e húngaro de 2º e 3º uso e mais 8 meses em garrafa.

Saúde e até a próxima,

Rafael Puyau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *