1º encontro da Confraria ENO Lógico!

Na última quinta-feira – 21.12 – na sala VIP do Novotel RJ Botafogo, tive o prazer de inaugurar a confraria ENO Lógico! Formada, basicamente pelos ex-alunos do WSET e, também, por enófilos que cursaram alguma escola de formação em vinhos.

Nosso objetivo é, sempre, reunir 15 pessoas a cada encontro para continuar estudando e progredindo no universo vitivinícola. Cada painel corresponderá a um tema específico e será formado por 5 rótulos.

O painel proposto para o 1º encontro da confraria ENO Lógico! foi um resgate a origem do vinho com rótulos da Ucrânia, Geórgia, Bulgária, Líbano e Espanha.

Confira a breve análise de cada rótulo a seguir.

  • Shabo Gold Brut Two – Ucrânia (Chardonnay e Pinot Noir) – R$139,04 – um primoroso exemplar produzido na região de Odessa no sul da Ucrânia pelo método tradicional. Esse espumante apresentou um bom volume em boca com um perlage delicado e persistente. No nariz percebe-se toques de abacaxi, cítricos e nuances de tostado e leveduras. Acidez marcante tornando o vinho extremamente agradável e prazeroso. Leve e fácil de beber. Ideal para ser apreciado com aperitivos ou para abrir uma refeição.

  • Shabo Amber Wine 2011 – Geórgia (100% Rkatsiteli) – R$389,00 – produzido pela Shabo Wine Company na região de Kakheti – onde foi originalmente desenvolvido o método de elaboração desse rótulo – na Geórgia. Elaborado com a casta branca rkatsiteli, de pele grossa e que retêm boa acidez, sendo vinificado em ânforas de argila – chamadas de KVEVRI – enterradas a 3 metros de profundidade, tampadas e seladas com cera de abelha. Permanece por 9 meses nesses recipientes. Com um nariz bem agradável com com certa mineralidade, toques de frutas secas, lembrando um vinho de colheita tardia além de deliciosas notas de pêssego e mel. Porém em boca apresenta-se seco com ótima acidez, leve cremosidade, notas terrosas, damasco, laranja e medianamente encorpado. Um vinho gastronômico e versátil, mas que foge um pouco do paladar do brasileiro. De caráter único e distinto. Sendo raro no mercado brasileiro e muito curioso. Procure experimentá-lo com um charuto ou um presunto Parma.

  • Château Burgozone Gold 2014 – Bulgária (100% Pinot Noir) – R$159,00 – esse Pinot Noir búlgaro das planícies do Danúbio é extremamente elegante, delicado e macio apresentando uma coloração rubi atraente, aromas de pequenos frutos vermelhos maduros como morangos e cerejas, toque defumado com nuances de chá preto, tabaco e de especiarias. Ótima estrutura e acidez na medida certa com taninos sedosos e bom volume de boca deixando uma sensação aveludada. Estagiou por 8 meses em barricas novas de carvalho francês e descansou por mais 8 meses nas caves. Me arrisco, sim, a dizer que seu estilo lembra alguns Pinots da Côte de Beaune. Agrada aos paladares mais exigentes. Vinho para entendedores!

  • Château Marsyas Gran Rouge 2009 – Líbano (50% Cabernet Sauvignon, 30% Syrah, 15% Merlot e 5% Petit Verdot) – R$284,00 – especula-se que o Líbano seja o mais antigo produtor de vinhos do mundo. Sofreu forte influência francesa no período de 1920 a 1943 o que deixou marcas na indústria vitivinícola libanesa e herdou as castas e as técnicas enológicas praticadas na França. Percebe-se no rótulo a palavra Château e a frase mis en bouteille au. Esse tinto é profundo e encorpado com um rubi bem intenso apresentando notas de frutas vermelhas e negras bem maduras, como cassis e ameixa preta em compota, notas minerais e defumadas. Toques, também, de carvalho porém na medida certa sem se sobrepor a fruta, acidez assertiva com equilíbrio alto. Em boca nota-se leves toques de tomilho e trufa branca. O teor alcoólico apesar de alto – 14,9% – encontra-se muito bem integrado ao vinho. Um belíssimo exemplar do Vale de Bekaa – que é protegido por montanhas, com invernos rigorosos e verões quentes e secos. O final é longo e complexo, o que deixa o comensal com vontade de repetir a dose. Gastronômico!

  • Nebbia Dulce – Espanha (100% Tempranillo) – R$108,33 – para fechar o painel, apresentamos um espanhol de colheita tardia da uva tempranillo para harmonizar com as rabanadas, já entrando no espírito natalino. Produzido pelo Nebbia Wines, com vinhedos localizados na região de La Mancha. Descansou por 12 meses em barricas de carvalho francês, onde adquiriu estrutura e complexidade. Nariz interessante com um ataque de geléia de frutas vermelhas com notas de figos secos, nozes, baunilha e um refrescante toque de hortelã. Em boca é denso e cremoso com taninos maduros. Um Vino de la tierra que apresentou um belo equilíbrio entre doçura e acidez, fazendo desse rótulo uma escolha ideal para encerrar um painel, como alguns confrades presentes classificaram, INUSITADO porém encantador. Fechamos a noite com um belo exemplar de La Mancha bem elaborado que se somou aos demais sem roubar a cena pra si.

Saúde e até a próxima.

Rafael Puyau

2 thoughts on “1º encontro da Confraria ENO Lógico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *