Toda a versatilidade dos Rosés

Que os vinhos rosés são versáteis, principalmente quando se fala em harmonização, todo mundo já sabe. Mas você sabe porque esse estilo de vinho está sendo preferido pelos jovens? Entende como se deu esse boom de consumo e produção?

Esse foi o tema que abordei na última quarta-feira quando, a convite do presidente da confraria Amavinho – José Paulo Fernandes – palestrei sobre vinhos rosés na Wine Rio em Botafogo.

Levei para os presentes uma visão geral do mercado de vinhos com foco nos rosés. Apresentei dados coletados na OIV – Organisation Internacional de la Vigne et du Vin – e no CIVP – Conseil Interprofessionnel du Vin de Provence. E com base nesses dados, mostrei como o rosé é um estilo de vinho muito versátil.

Montei um painel que refletisse toda a versatilidade dos rosés com rótulos do Novo Mundo.

Confira abaixo as estrelas da noite.

  • Villa das Vinhas Brut Rosé (Serra Gaúcha/Brasil) – 12% – 60% Merlot e 40% Pinot Noir – coloração com tons salmão, com perlage fina e persistente. No nariz mostra aromas florais com notas herbáceas e de frutas frescas. No palato tem acidez refrescante e boa cremosidade trazendo equilíbrio ao vinho em boca.

  • Nina Pinot Grigio 2016 (Vêneto/Itália) – 12% – 100% Pinot Grigio – com um rosa pálido, apresenta notas de flores de acácia. Em boca, apresenta-se macio com corpo leve e refrescante. Acidez viva e agradável.

  • Viu Manent Estate Reserva Collection 2016 (Vale de Colchagua/Chile) – 12,5% – 100% Malbec – apresenta uma coloração delicada de mármore. É límpido e brilhante. Em nariz mostra aromas intensos de morango, framboesa e sutis notas florais. Em boca, evidencia notas de frutas brancas acompanhadas de uma acidez presente que proporciona um final bem agradável.

  • Domaine Bousquet Orgânico 2015 (Mendoza/Argentina) – 12% – 45% Malbec, 45% Cabernet Sauvignon, 5% Sauvignon Blanc e 5% Pinot Gris – de coloração mármore, límpido e brilhante. No nariz apresenta notas de morango e frutas vermelhas. Em boca, apresenta uma acidez viva com retrogosto frutado confirmando as notas de nariz. Equilibrado e muito agradável no palato.

  • Mundus Novus 2013 (Mendoza/Argentina) – 14,5% – 100% Malbec – com uma cor salmão, é límpido e brilhante. Com nariz apresentando um aroma delicado de cascas de maçã que desprende-se logo no início, dando vez a frutas vermelhas recém-colhidas do bosque. Na boca, uma surpresa: a acidez e o álcool equilibrados realçam os morangos e cerejas que, aos poucos, transformam-se em frutas de caroço como ameixas vermelhas, pêssegos e nectarinas que acariciam o palato em um final longo e agradável.

Pra fechar essa essa noite maravilhosa de muito conhecimento compartilhado, tivemos mais dois rosés que vieram para abrilhantar ainda mais o painel.

Veja quem apareceu:

  • Rosé Las Chicas 2017 (Farroupilha/Brasil) – 12,5% – 100% Pinotage – sem passagem por barricas de carvalho, esse rosé é fácil de beber, agradável e refrescante. Com um visual limpo, brilhante e uma coloração rosa claro lembrando um mármore na paleta de cores dos vinhos rosés. Notas florais e de frutas frescas como maçã, cereja, amora silvestre e um toque mineral bem agradável. Com acidez na medida certa, é equilibrado resultando num vinho macio e sedoso.

  • Exlibris de Baco 2016 (Douro/Portugal) – 13% – Touriga Franca, Tinta Roriz e Touriga Nacional – com uma coloração delicada de rosa devido ao processo de prensagem direta, é límpido e brilhante. Com toques de morangos e framboesas tanto no nariz quanto em boca, apresentou um frescor envolvente e uma intensidade de frutos vermelhos no palato. Com um final frutado bastante agradável apresenta um bom equilíbrio entre a acidez e um leve dulçor.

Saúde e até a próxima,

Rafael Puyau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *