Matias Riccitelli veio ao Brasil!

À convite da Winebrands, Matias Riccitelli veio ao Brasil apresentar, para um seleto grupo de profissionais, 6 dos seus 25 rótulos produzidos em diversos terroirs na Argentina.

O local escolhido para esse encontro não podia ser outro, a varanda do Rubaiyat Rio. Estávamos todos reunidos com a bela vista para a pista do Jockey Club do Rio de Janeiro enquanto que a Clara Mei e o Nando Rodrigues davam os últimos retoques, verificando a temperatura dos vinhos, se havia taça para todos os presentes entre outros detalhes que fazem parte quando se traz um produtor para apresentar seus vinhos para o trade de vinhos do Brasil.

Matías é um profissional irriquieto e um incansável sonhador. Nascido em Cafayate – Salta – pequenina cidade localizada no norte da Argentina. Se formou como enólogo e após trilhar um caminho vitorioso, resolveu em 2009 fundar a Riccitelli Vinhos, aproveitando os ensinamentos de seu pai – Jorge Riccitelli e trazendo toda a sua bagagem desde que se formou como enólogo passando por prestigiadas vinícolas argentinas.

A bodega de Riccitelli está localizada à 1100 metros de altitude no ponto mais alto do distrito de Luján de Cuyo com 20 ha de vinhas velhas de pé-franco. Eles, também, trabalham e valorizam pequenos produtores nos terroirs argentinos – variando entre 1000 e 1700 m – como em Gualtallary, Chacayes, Altamira e La Carrera. O resultado, claro, encontra-se nos vinhos produzidos.

VINHOS

  • Hey Malbec 2018 – 12% – 100% Malbec – Vistalba – toda a versatilidade da Malbec engarrafada neste belo rosé argentino. Um rosé leve, fresco e descontraído. Com uma coloração salmão, este rótulo apresentou um nariz floral (flores brancas), cítrico (grapefruit e laranja) e frutado (pequenos frutos vermelhos). No palato é leve, fácil de beber, acidez viva que torna esse vinho equilibrado e com retrogosto frutado. Um vinho para refrescar os dias quentes de verão. R$95,00;

  • The Apple doesn’t fall far from the tree 2017 – 13% – 100% Torrontés – Vistalba – toda a vivacidade, frescor e elegância da Torrontés proveniente de vinhas velhas com mais de 40 anos em solo argentino; num rótulo que preza pela irreverência e descontração. Fermentado com leveduras indígenas, passou por maceração pelicular de 48 horas conferindo a esse vinho uma paleta aromática diferente e mais rica. Com uma coloração citrina mais intensa apresentou um nariz com notas florais e cítricas com ligeira intensidade. Em boca, é equilibrado com acidez vibrante e com toques florais abraçando o palato delicadamente. R$130,00;

  • Blanco de la Casa 2017 – 13% – 40% Sauvignon Blanc, 40% Sémillon e 20% Chardonnay – Vale de Uco – este vinho é uma novidade para o mercado brasileiro, bem como para o mercado sul-americano e mundial de vinhos. Com um blend de 3 castas provenientes de sub-regiões diferentes do Vale de Uco, sendo o Sauvignon Blanc de Gualtallary, o Sémillon de La Consulta com vinhas de mais de 50 anos e o Chardonnay de Las Carreras. A fermentação ocorre em ovos de concreto com leveduras indígenas. Depois estagia por mais 6 meses sobre as leveduras antes de ser engarrafado. Amarelo palha com reflexos esverdeados. Brilhante e límpido. No nariz apresentou toques frutados e cítricos como de maçã verde, pêra, aromas de arruda e um delicado toque mineral. Um vinho de médio corpo com acidez vibrante, equilibrado, com ótima presença no palato e final fresco e ligeiramente persistente. O rótulo é do fotógrafo Marcos López. R$210,00;

  • Hey Malbec 2016 – 14,5% – 100% Malbec – Vistalba – mais uma faceta da Malbec. Casta de origem francesa que encontrou na Argentina seu segundo lar. Este vinho teve 70% de seu volume estagiado em ovos de concreto enquanto que os 30% restantes envelheceram em barricas de carvalho francês. Rubi intenso, nariz exuberante com notas de frutas negras, pimenta e violeta. No palato segue exuberante com taninos macios e maduros, acidez presente e bem integrada. Final de boca persistente. Opulente e exuberante. R$95,00;

  • Tinto de la Casa 2016 – 13% – 100% Malbec – Vale de Uco – é um corte de terroirs distintos – Las Compuertas e Gualtallary. Uma prova viva do belo trabalho de Matías que confere ao vinho equilíbrio e complexidade aliado à elegância. Rubi profundo com toque floral de violetas e frutado de ameixa preta, cassis e mirtilo. Com taninos redondos no palato e retrogosto frutado predominando as notas de frutas negras. Estagiou por 12 meses em barricas de carvalho francês. Equilibrado, exuberante e com boa persistência. R$210,00;

  • Old Vines Malbec 2016 – 13,5% – 100% Malbec – Patagônia – a degustação terminou com chave de ouro com esse Malbec de vinhas velhas plantadas em pé-franco e que são cultivadas naturalmente de forma orgânica. O projeto da Riccitelli Vinhos na Patagônia visa redescobrir e valorizar esta zona de grande potencial. E que potencial! Temos um vinho com coloração rubi intensa com reflexos violáceos. Apresentou uma paleta aromática complexa onde os aromas florais se combinavam com as notas de frutas silvestres, ameixa madura, alcaçuz e especiarias. Com um equilíbrio notável no palato e taninos extremamente elegantes e sedosos que se equivaliam com uma acidez harmoniosa e vibrante, mantendo a tensão e a agradabilidade em boca. Um Malbec intenso, elegante e persistente. Belo exemplar argentino. R$288,00.

Saúde e até o próximo post,
Rafael Puyau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.