Vin Santo – o segredo da sua santidade.

O Vin Santo segue uma elaboração complexa enriquecida pela experiência secular dos viticultores da Toscana.

Produzidos desde pelo menos a Idade Média estamos falando de uma cultura tradicional na vida da região.

São oferecidos como uma bebida acolhedora para os convidados e geralmente são consumidos com biscoitos como os ricciarelli de Siena com aroma de amêndoa e laranja cristalizada ou os famosos cantucci (que com a massa mais rígida são literalmente embebidos no Vin Santo).

Aqui no blog sugerimos provar com os blondies! Tem receita no post!

Logo após a colheita manual, os cachos são pendurados em salas ventiladas, dispostos em bastões de madeira ou esteiras de palha onde são deixados para secar durante o período de outubro a janeiro. Esse processo é responsável por eliminar boa parte da água presente nos grãos, concentrando frutose, que na fase de fermentação vira álcool.

Após mais de três meses, as uvas são esmagadas e fermentadas em um pequeno barril de madeira chamado “caratello”. O mosto é derramado até atingir 75% do volume total (3/4). O fechamento do “caratello” é realizado de forma que, durante a fermentação, a pressão interna seja alta tornado o processo de fermentação lento e único. Falam do “segredo da santidade.”

Esse processo resulta em um vinho de sobremesa com teor alcóolico próprio da fermentação e com carcaterísticas prórias. A cor âmbar está relacionada ao processo de oxidação nas barricas.

As castas brancas típicas usadas para quase todo vin santo branco é Trebbiano e Malvasia Bianca. Trebbiano da Toscana traz acima de tudo a acidez e a Malvasia confere estrutura. enquanto a cor rosa do Occhio di Pernice – assim chamada por se assemelhar ao olho (occhio) de uma perdiz (pernice) – vem do uso mínimo de 50% de uvas sangiovese.

Embora o vin santo seja geralmente classificado como um vinho de sobremesa, seus níveis de doçura variam. A maioria é feita doce (amabile) ou muito doce (dolce). Outros vinhos são quase completamente secos (secco), feitos de uvas que não foram deixadas dessecar tão completamente; eles passam por uma fermentação mais rigorosa até quase todos os açúcares terem sido convertidos em álcool. Eles se assemelham a um vinho fortificado seco (como fino xerez ).

Um típico Vin Santo oferece aromas de damascos e flor de laranjeira, seguidos por um paladar rico em caramelo, nozes e passas com uma pitada de mel e creme no final.

A origem do nome “Vin Santo” é repleta de diferentes e curiosas histórias. A melhor estabelecida é a de uma lenda sienense segundo a qual, em 1348, um monge distribuía um vinho usado para celebrar a missa, aparentemente capaz de curar os pacientes que bebiam… e passaram a acreditar que ele era mesmo milagroso e tão “santo”.

Há quem explique o termo “santo” ao fato de o mosto começar a fermentar no dia de Todos os Santos, 1º de novembro, e engarrafado no fim de semana de Páscoa quando finalizado o processo de apassimento das uvas.

Há também interpretações de suas raízes semânticas. Da palavra grega ‘xantos’ (ξανθός), que significa loiro ou amarelo, à palavra latina ‘sanctus’, que indica tudo o que é separado do resto do mundo, que é diferente, único e raro.

Atualmente, o Vin Santo da Toscana mostra seu próprio DOC em quatro versões: Vin Santo di Carmignano, Vin Santo del Chianti, Vin Santo del Chianti Clássico e Vin Santo di Montepulciano.

Os vinhos vendidos sob este DOC estão disponíveis em duas variantes principais (Vin Santo del Chianti branco e Vin Santo del Chianti rosa Occhio di Pernice), ambos com um estilo amabile intensamente doce ou um secco quase completamente seco, semelhante ao fino xerez.
Alguns também podem ser fortificados, ou seja, acrescidos de aguardente vínica durante o processo de fermentação, como os Vinhos do Porto, e costumam ser rotulados como Vin Santo Licoroso.

Os vinhos ainda hoje são amplamente produzidos e finalmente foram reconhecidos pela lei DOC em 1997, tendo sido vendidos antes como Vini da Tavola.

Para quem não conhece e também ainda não provou… vale muito conhecer e degustar com o blondie que é uma versão do brownie com chocolate branco! Mega saboroso, cremoso e com aquela casquinha crocante. Imperdível!

Já estamos sugerindo opções práticas e saborosas para sobremesas das festas de fim de ano! Confere a receita no final do post!

E testa a harmonização com o Vin Santo del Chianti “Il Nostro” DOC 375ml importado pela World Wine aqui no Brasil.

Trata-se de um clássico vin santo com bom corpo, doçura equilibrada e boa acidez. Marcado por frutas brancas e cítricas em compota, mel, frutas secas e toques defumados.

Harmoniza bem com o Blondie que tem a untosidade do chocolate branco com uma delicada doçura e crocância das nozes. Unem forças para elevar esse momento a uma experiência inesquecível!

Vin Santo del Chianti Il Nostro
Vin Santo del Chianti Il Nostro

Confere a receita do Blondie do Blog Receitas de Minuto da Gisele Souza.

Receita Blondie

Blondie (Brownie de chocolate de branco)

Ingredientes (acrescenta as nozes picadas nessa receita)
¾ xícara (chá) de Farinha de Trigo (tradicional) (100g)
½ xícara (chá) de Açúcar (refinado) (100g)
½ xícara (chá) de Manteiga s/ sal (85g)
2 Ovos
200g Chocolate Branco (picad
o)

Instruções
Em uma tigela coloque ¾ de chocolate branco picado e leve para derreter em banho maria e misture até que esteja completamente derretido
Tire do banho maria e junte a manteiga picada em cubinhos e misture até que esteja derretida (não se assuste vai parecer que talhou, mas no final da certo)
Adicione os ovos um a um e misture bem.
Adicione o açúcar refinado e a farinha de trigo e misture bem com a ajuda de um batedor de arame ou espátula.
Coloque em uma forma de no máximo 20cm untada, forrada com papel manteiga, untado novamente e enfarinhada.
Coloque os pedacinhos de chocolate restante e afunde para que fiquem no meio do blondie, acrescente os pedaços de nozes também e leve para assar em forno pré-aquecido a 200°C por cerca de 20 minutos ou até criar uma casquinha fina e crocante e fizer o teste do palito e ele sair levemente úmido.

Observações da autora da receita! Leia com atenção porque fazem a diferença no resultado da receita!

CHOCOLATE DERRETIDO: O uso do chocolate é extremamente necessário para conseguir a textura do blondie, por isso não deixe esse ingrediente de fora.
NOZES: Se preferir coloque nozes picadas para deixar crocante! Fica muito bom!!!!
RASPAS: Se desejar adicione raspas de limão ou laranja para saborizar a massa.
IMPORTANTE: Preste atenção no tamanho da forma, se usar uma maior precisa dobrar a receita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.